Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com mais de 210 mil eleitores, sendo o segundo município a ter, em 2016, dois turnos para eleição de prefeito, Caucaia pode mudar esse cenário em 2020 se os eleitores não aparecerem para o cadastramento no sistema de votação digital. As informações que chegam à coluna revelam indiferença dos eleitores com a mobilização da Justiça Eleitoral. Se
isso continuar, o sistema de biometria terá bem menos dos 200 mil eleitores necessários para manter Caucaia com segundo turno de prefeito nas eleições de 2020. Muitos eleitores moram em cidades da Grande Fortaleza e demonstram desinteresse em sair de suas casas para o cadastro biométrico em Caucaia.

VEREADORES ATINGIDOS

Quem sentirá falta dos eleitores que não aparecerem para realização do cadastro digital são os vereadores. Alguns parlamentares receberam injeção de votos de eleitores que moram em outras cidades e, no período das eleições, são mobilizados para irem aos locais de votação. Sem a digital na biometria, os votos desaparecem.

SEM MÉDICO E REMÉDIO

Moradores da Tabuba, Potira e Mestre Antonio querem mais atenção dos vereadores com os problemas nos Postos de Saúde da Família (PFS) que funcionam nessas localidades. A gritaria é geral: faltam médico e remédio. Os moradores cobram a Prefeitura para manter os PSFs funcionando e querem, também, apoio dos vereadores nessa luta.

DESENVOLTURA DE RODRIGO

Chama a atenção a desenvoltura do jovem Rodrigo Amorim, filho de Naumi, na interlocução para equacionar problemas de quem tem pendência com o Município de Caucaia. Rodrigo chegou, nos primeiros momentos da administração do pai, a alimentar o sonho de concorrer à Assembleia Legislativa, mas foi convencido a desistir da ideia. Sem briga, nem conflito. A vaga é para dona Érica, primeira dama do Município.

FOGO CRUZADO

A Assembleia Legislativa votará, em junho, a Proposta de Emenda à Constituição que extingue o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). A maioria dos deputados estaduais é a favor do fim do TCM que, sem prejuízo no processo de fiscalização do dinheiro público, pode ter esse papel exercido pelo Ministério Público Estadual. O fim do TCM é mais um capítulo na briga do conselheiro Domingos Filho com o governador Camilo Santana e o ex-governador Cid Gomes. Com respingos em Caucaia.