Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Oito dias depois da deflagração da operação “carne fraca” pela Polícia Federal, países como o China, Egito e Chile dão sinais de que podem reverter a importação de carnes brasileiras. O Chile, a exemplo do Egito e China, decidiu retirar a suspensão total à importação da carne brasileira, mas manteve a proibição da entrada de produtos dos 21 frigoríficos investigados. A informação foi divulgada neste sábado, 25 pelo Serviço Agrícola e Pecuarista do Chile.

O órgão chileno justificou que a decisão foi tomada após ter recebido explicações do Ministério da Agricultura e Pecuária do Brasil em resposta ao pedido de informações detalhadas sobre as investigações da Polícia Federal. O Chile informou que poderá suspender as importações de qualquer outro estabelecimento que apareça posteriormente nas investigações.

O Egito havia imposto a proibição até que as autoridades brasileiras fornecessem esclarecimentos considerados satisfatórios. O Ministério da Agricultura egípcio declarou reconhecer a qualidade da carne brasileira após exames feitos por três diferentes órgãos governamentais.

Pelo menos 19 países e a União Europeia suspenderam total ou parcialmente as importações de carnes brasileiras após o anúncio da Operação Carne Fraca. Outros quatro países, entre eles os Estados Unidos, reforçaram o controle sanitário para entrada do produto brasileiro.

As investigações da PF apontam a existência de esquema criminoso que envolve empresários do agronegócio e fiscais agropecuários que facilitavam a emissão de certificados sanitários para alimentos inadequados para o consumo.

Em nota conjunta, o presidente Michel Temer e o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, registram que “as medidas anunciadas pelos governos do Egito e do Chile corroboram a confiança da comunidade internacional no nosso sistema de controle sanitário, que é robusto e reconhecido mundialmente”.

Reafirmam também que o governo brasileiro segue transmitindo aos parceiros comerciais todas as informações sobre a segurança dos alimentos produzidos no país.

ASSOCIAÇÃO COMEMORA

 

Sobre os recentes anúncios de retomada das importações da carne brasileira, o presidente da ABPA (Associação Brasileira de Proteína Animal), Francisco Turra, afirmou que a liberação da entrada dos produtos na China reforça a confiança do país nas garantias de segurança alimentar e de qualidade do sistema produtivo brasileiro. Turra também manifestou a expectativa de que, em breve, aconteçam novos anúncios de suspensão de embargos.

“A China é um mercado da mais alta relevância para o setor de proteína animal do Brasil. É o segundo maior importador de carne de frango e terceiro de carne suína. A retomada dos embarques após as apresentações das explicações pelo Governo Brasileiro mostra a confiança que a China deposita em nosso sistema produtivo para a segurança alimentar de sua população, ofertando a mesma qualidade que entregamos para o mercado brasileiro”, explica Turra.

O presidente da ABPA também elogiou o esforço conjunto da iniciativa privada e do governo, sob coordenação do Ministério da Agricultura, com suporte do Palácio do Planalto e das embaixadas. “A rápida ação liderada pelo Governo foi decisiva para uma solução consistente e ágil.”

Fonte – Agência Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp