Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Na primeira semana após o aumento de impostos sobre os combustíveis, o preço da gasolina subiu, em média, 8,22% no País. Foi o maior aumento desde que a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis começou a fazer o levantamento semanal de preços, em 2004.

Os preços do etanol hidratado e do óleo diesel também tiveram alta expressiva, de 8,86% e 5,05%, respectivamente. No caso do etanol, foi a segunda maior da série histórica. Para o diesel, foi a quarta maior. Segundo a pesquisa divulgada pela ANP na última sexta, o preço médio da gasolina no país foi de R$ 3,749 por litro na semana passada, R$ 0,285 acima do praticado na semana anterior. No Ceará, o litro está cerca de R$ 3,99.

Em termos percentuais, o maior aumento verificado nas bombas pela agência havia sido de 7,85%, na semana encerrada em 17 de setembro de 2005, refletindo reajuste de 10% promovido pela Petrobras no preço do combustível na semana anterior.

Agora, a alta foi provocada pelo aumento nas alíquotas de PIS/Cofins anunciado pelo governo no dia 20 de julho, com a justificativa de que precisa de reforço de caixa para evitar o descumprimento da meta fiscal. Para a gasolina, o valor dos impostos dobrou, passando a R$ 0,41 por litro. Para o diesel, subiu a R$ 0,21 por litro e para o etanol, a R$ 0,32 -na semana passada, porém, o número foi revisto para R$ 0,24, para adequar o aumento a limite legal estabelecido para a cobrança dos tributos sobre o combustível.