Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O prefeito Roberto Cláudio se reuniu nesta quarta-feira (10/05), no Paço Municipal, com o Conselho da Cidade para discutir as ações de requalificação da Rua José Avelino e Avenida Alberto Nepomuceno. O órgão aprovou, por aclamação, as intervenções, e as obras serão iniciadas na próxima segunda-feira (15/05).

A feira da José Avelino traz inúmeros problemas aos feirantes e para a Cidade. Durante o encontro, o secretário da Regional do Centro, Adail Fontenele, apresentou os danos causados pela ocupação irregular. “Todos sabem da evasão fiscal que existe ali, a degradação do patrimônio público, o estímulo ao trabalho infantil, o trânsito desordenado, sem contar a imensa quantidade de lixo gerado nos dias da feira”, explicou. O comércio no local acontecerá pela última no próximo domingo, Dia das Mães (14/05). A data foi acordada com a Prefeitura de Fortaleza e os representantes dos feirantes da José Avelino, em reunião na Justiça Federal em fevereiro deste ano.

De acordo com projeto, a Rua José Avelino terá recuperação do calçamento, alargamento do passeio com acessibilidade, nova iluminação e paisagismo. Já a Avenida Alberto Nepomuceno receberá recapeamento do asfalto, acessibilidade nas calçadas, nova sinalização, paisagismo e implantação de ciclofaixas em ambos os lados do canteiro central. A via também ganhará um novo Ecoponto, onde os moradores poderão fazer o descarte correto do lixo. “Todo os interesses possíveis que poderiam estar contrariados numa decisão como essa foram estudados. Os pequenos vendedores estão protegidos pela distribuição dos boxes públicos; o setor econômico da moda está sendo transferido e ganhando em escala, e a Cidade está ganhando de volta o patrimônio histórico e público que é de grande importância pra Fortaleza”, pontou o prefeito Roberto Cláudio.

Todos os detalhes do projeto de requalificação foram apresentados aos representantes do Conselho da Cidade para que sugestões pudessem ser adicionadas. Entre eles, representantes do setor produtivo, das instituições de ensino superior, de todos os conselhos de políticas públicas instituídos no Município, além de representantes dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Para o arquiteto e urbanista Fausto Nilo, “estamos diante de uma emergência da comunidade, quase psicológica. Foi tudo muito destruído em bem pouco tempo”.

“Nós não somos contra os ambulantes, muito pelo contrário, queremos colaborar para que eles se tornem microempreendores indivuduais e possam ter um lugar com segurança para vender e aumentar a quantidade de consumidores”, afirmou a diretora institucional da Fecomércio, Cláudia Brilhante.

O Conselho da Cidade, instituído por meio da Lei nº 10.232, de julho de 2014, é um órgão participativo colegiado, de natureza consultiva, com a finalidade de assessorar o prefeito municipal nas questões relativas à implementação do desenvolvimento econômico, social e ambientalmente sustentável da Cidade.

Com informação da A.I