Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A demissão de 180 trabalhadores e o corte de 60 caçambas que atuam na coleta urbana na capital pode resultar na paralisação das atividades de coleta de lixo na Capital. A informação é do presidente da Associação de Caçambeiros de Fortaleza, Eloi Júnior.

Segundo ele, deverá acontecer uma reunião ainda hoje entre a empresa prestadora do serviço e a associação, para discutir as demissões e o pagamento dos salários. Caso não haja resposta positiva deve ser deflagrada uma nova greve.

Além de não concordar com a demissão dos trabalhadores a categoria reivindica os salários atrasados referentes a dezembro e janeiro e o pagamento do vale-alimentação. “A Prefeitura alega corte de gastos, mas o que não pode ser cortado é um serviço tão essencial para a população, que será prejudicada com o corte dos caçambeiros”, avaliou Eloi.