Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

“Campeã de reclamações em Fortaleza”, este é o status ocupado pela Enel Distribuição Ceará, que tem recebido constantes reclamações dos fortalezenses que se encontram insatisfeitos com o serviço e, de acordo com o Departamento Municipal de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon Fortaleza) a empresa é a que acumula o maior número de reclamações registradas por consumidores da capital cearense desde o início do ano até o fim de agosto.

O assunto repercutiu no Bate-Papo político do Jornal Alerta Geral (FM 104.3 – Grande Fortaleza + 24 emissoras no Interior), entre os jornalista Luzenor de Oliveira e Beto Almeida. De acordo com o Procon Fortalezam, foram registradas 950 queixas contra a distribuidora de energia elétrica no período, em um total de cerca de 7.440 atendimentos, realizados de forma presencial ou não. 

Além da Enel, também predominam no ranking reclamações à Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), empresas telefônicas e de e-commerce. As principais queixas são referentes a cobranças indevidas e dúvidas sobre cobranças, reajustes, contratos e orçamentos.

Beto Almeida afirma que os números não surpreendem, mas sim, entristecem, tendo em vista que os três segmentos que ocupam o topo do ranking (energia, água e telefonia) são serviços essenciais para a população. O jornalista enfatiza que mesmo com a constante insatisfação dos consumidores cearenses devido à má prestação dos serviços, o custo por esses permanece alto.

Para ele, os problemas se intensificaram durante a pandemia do novo coronavírus, onde serviços presenciais foram suspensos e a população encontrou mais dificuldades para entrar em contato com as empresas. Ao citar um exemplo pessoal, Beto apontou que durante o período em que esteve longe de sua residência na Capital, a conta de energia não teve queda, mesmo com a diminuição considerável de consumo na casa.

Após reclamações, o jornalista conseguiu a redução do valor da conta de apenas um dos meses que foram cobrados de maneira incorreta. Luzenor destaca que a situação que ocorreu com Beto se repete com outros milhares de cearenses que com frequência denunciam abusos no valor das contas, cobranças indevidas entre outros problemas.