Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Em busca de 221 votos dos parlamentares que representam o agronegócio no Congresso, para se livrar das denúncias de corrupção e outros crimes contra ele, Michel Temer coloca em risco a política ambiental brasileira e até os direitos dos indígenas.

Recentemente, ele enviou ao Congresso um projeto de lei que retira 27% da Floresta Nacional (Flona) do Jamanxim, no sudoeste do Pará, na região Amazônica, para legalizar grileiros e posseiros dentro da área. E m reunião realizada com a líder do PSB na semana passada, a deputada Tereza Cristina, que também é produtora rural, ela revelou que Temer prometeu intervir em demandas da bancada ruralista junto à Receita Federal.

Na última quarta-feira 19, a Advocacia-Geral da União (AGU) anunciou um parecer da presidência que determina que todos os órgãos do governo federal deverão adotar o entendimento firmado no julgamento do STF sobre a Terra Indígena (TI) Raposa Serra do Sol, em Roraima, nos processos de demarcação de terras indígenas. O parecer deve paralisar 748 processos em andamento hoje no País.