Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Representantes dos órgãos de inteligência e de segurança pública se reuniram na Procuradoria-Geral do Estado, nessa segunda-feira (08/05), com o objetivo de discutir o planejamento de ações para reforçar a segurança pública no Ceará. O desembargador Teodoro Silva Santos, presidente da Comissão de Segurança Permanente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), representou o Judiciário cearense.

Durante coletiva à imprensa, o magistrado destacou o empenho do TJCE na troca de informações com os demais órgãos de segurança no combate ao crime organizado. “Nosso inimigo é o crime organizado e não podemos combatê-lo sem uma integração entre os órgãos. Não temos como desarticulá-los sem esse compartilhamento de informações. O dever da segurança não é só dos órgãos de segurança e sim de todas as instituições.”

O desembargador ressaltou ainda a implantação do sistema de audiências de videoconferência no Judiciário, que deve acontecer em breve. “A videoconferência é meta prioritária da Presidência do Tribunal. É um dos avanços mais importantes do Código Penal. Com a implantação, vamos evitar policiais em escoltas, atentados contra presos, contra autoridades e dar mais segurança ao processo.”

Na ocasião, o superintendente da Polícia Federal, Delano Bunn, aproveitou o momento para agradecer ao presidente do TJCE, desembargador Gladyson Pontes, e ao corregedor-geral da Justiça, desembargador Darival Beserra, pela presteza em atender às demandas do órgão. O superintendente citou o Provimento nº 9/2017, que orienta magistrados da área criminal a realizarem alienação antecipada de bens apreendidos em processos criminais. “Esse procedimento traz mais celeridade ao andamento de processos e evita o deterioramento de bens, principalmente automotores. Isso também mostra o quanto as instituições estão empenhadas nesse trabalho”.

O procurador-geral da Justiça, Plácido Rios, acredita que essa cooperação entre as entidades é o caminho certo a ser seguido. “Caminhamos de mãos dadas no combate a esse câncer social que são as organizações criminosas. É um grande desafio.” Para a secretária de Justiça, Socorro França, integração é a palavra de ordem. “Ou nos entendemos para estabelecermos uma política pública eficiente, ou não seguimos em frente”, ponderou.

À frente da Secretaria da Segurança e Defesa Social (SSPDS), André Costa afirmou que o diálogo constante com os demais órgãos competentes da área de segurança é fundamental. “É por isso que temos reuniões mensais, unindo Ministério Público, Secretaria de Justiça, Poder Judiciário, Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal, com o objetivo de discutir medidas e estratégias que precisamos implementar no combate ao crime organizado.”

Estratégias que já estão sendo aplicadas, segundo o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Stênio Pires. “Ontem tivemos um exemplo da celeridade e eficiência que essa integração traz. Fizemos uma grande apreensão de drogas em Jaguaribe e, rapidamente, essa droga estava na sede da Polícia Federal para a pesagem”, informou.

Essa foi a terceira reunião do grupo, que se encontra mensalmente para discutir aspectos da segurança pública do Estado.

Com informação da A.I

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp