Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Uma costura política feita com as lideranças aliadas e de oposição ao Governo do presidente Michel Temer está levando, nesta quarta-feira, um cearense ao comando do Senado. O senador Eunício Oliveira conseguiu, nessa terça-feira, neutralizar focos de resistência à sua candidatura, foi oficializado como candidato do PMDB e, com apoio do PSDB e do PT, segue firme para conquistar, nesta quarta-feira, a Presidência do Senado. A possível vitória de Eunício Oliveira coloca o Estado do Ceará em posição de destaque no cenário político nacional. A última vez em que o Ceará comandou o Senado foi em 1991 pelas mãos do também cearense, Mauro Benevides.  Passaram-se 26 anos e o Ceará, ao longo de mais de duas décadas, ficou fora do protagonismo político nacional. Euníc io foi eleito senador em 2010, integrou os Governos Lula e Dilma, e, hoje, é um dos parlamentares mais influentes no Governo do presidente Michel Temer. A conquista da Presidência do Senado o garante novos espaços no cenário nacional com reflexos diretos na política do Ceará. Passarão pelas mãos do novo presidente do Senado projetos polêmicos – como as reformas da previdência social e mudanças nas leis trabalhistas, e a definição de uma agenda que pode se tornar positiva para o País. A missão de conduzir o Senado Federal tem o ônus das votações de projetos que não agradam milhões de brasileiros, mas podem ser importantes para estimular o aquecimento da economia, a geração de empregos e a estabilidade política. Afinal, no quadro atual, com mais de 12 milhões de desempregados, o Brasil precisa urgente de uma agenda positiva, com a renovação de expectativas para os trabalhadores e esperanças de novos rumos para a economia. O Ceará, se confirmada, nesta quarta-feira, a vitória de Eunício Oliveira para presidente do Senado Federal, terá uma fase de protagonismo na política nacional. Confira o editorial completo no player abaixo?

Editorial 01.02