Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O kit para a realização do exame de rejeição de coração transplantado, o biótomo, está em falta no Hospital do Coração Dr. Carlos Alberto Studart Gomes, o Hospital de Messejana. Cada kit, que era reutilizável e passou, para a segurança dos pacientes, ao uso do material descartável, tem o custo de R$ 7,2 mil. O exame é feito em pacientes que receberam um transplante nos primeiros seis meses após a cirurgia e, em seguida, uma vez a cada ano.

São 200 pacientes transplantados atendidos atualmente pelo hospital. O Hospital de Messejana, por meio da assessoria de comunicação, informou que o procedimento acontece antes da alta hospitalar e é repetido após seis meses e depois de um ano da realização do transplante. Este ano, o Hospital de Messejana já realizou 27 biópsias em pacientes transplantados. Segundo nota enviada por e-mail, o número de transplantes cardíacos vem batendo recorde ano a ano no Ceará, que é referência Norte/ Nordeste graças ao trabalho desenvolvido no Hospital de Messejana.

Foram realizados, no hospital, 24 transplantes cardíacos em 2015 e 32 em 2016, crescimento de 33%. Em 2017, até 25 de julho passado, já foram realizados 17 transplantes de coração. Com o aumento na quantidade de cirurgias, também cresce a demanda por esse tipo de exame. A nota informa ainda que os kits estão assegurados para os pacientes internados. Os pacientes transplantados há mais de seis meses que precisam fazer a biópsia estão sendo chamados de acordo com o nível de urgência. No último mês de julho, foram empenhados novos kits para biópsia com prazo de entrega pelo fornecedor para o próximo dia 9.