Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O PSDB saiu dividido no cenário nacional, mas no Ceará lideranças regionais se articulam para fortalecer a oposição e estimular a entrada do senador Tasso Jereissati na disputa ao Governo do Estado nas eleições de 2018. Se depender de dirigentes do PSDB, PR, PSD e Solidariedade, Tasso terá, como companheiro de chapa, o atual deputado estadual Capitão Wagner.

O ex-senador Luiz Pontes, em entrevista, nesta quarta-feira, 13, ao Jornal Alerta Geral (FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 22 emissoras no Interior), defendeu a candidatura de Tasso à sucessão estadual, disse que a oposição não estará fora do debate sobre os problemas do Ceará nas eleições de 2018 e afirmou que, com a aliança do PMDB com o PT e o PDT, as siglas que estiveram unidas em 2014 e 2016, como oposição, formarão palanque para ao Palácio da Abolição.

 “Precisamos ter candidatos que possam mostrar o que o Ceará precisa”, destacou Luiz Pontes, para em seguida acrescentar: “Os cearenses sentem hoje o desejo de ter uma grande oportunidade de votar no Tasso e, com isso, fortalece na oposição a possibilidade da candidatura. Questionado sobre a entrada do senador Eunício Oliveira na aliança com governador Camilo Santana, Luiz Pontes disse que não poderia confirmar a construção da aliança do PMDB com os situacionistas e foi lacônico: “Só posso falar: Vá com Deus”.

 Isso e muito mais no player abaixo. Confira!

LUIZ PONTES (EX. SENADOR) ENTREVISTA 13.12