Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou, nesta sexta-feira, os dados sobre a ocupação de mão de obra e mostro, com os dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), que a taxa de desemprego ficou em 11,6% no trimestre encerrado em novembro de 2021.

O IBGE revelou que, no trimestre encerrado em outubro, o porcentual havia ficado em 12,1%. Os números apontam que a criação de vagas temporárias no fim de ano, com festividades e alta no turismo, contribuiu para a queda do desemprego os últimos meses que antecederam a virada de 2021 para 2022.

O economista do Banco Original, Eduardo Vilarim, em declaração ao Jornal O Estado de São Paulo, destaca que o impulso sazonal às contratações para atender à demanda de fim do ano pode ser refletido nas informações divulgadas.

“Prova disso são os dados do Caged, com uma criação de cargos bastante expressiva em novembro, de 324 mil, muito acima da expectativa do mercado. Isso, por si só, traz um viés bastante positivo”, explica. Em contrapartida, o economista nota que o Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) da Fundação Getulio Vargas (FGV) recuou 2,4 pontos em médias móveis trimestrais em novembro.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp