Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Olhar para o futuro e mitigar os efeitos das mudanças climáticas globais, com o objetivo de promover o fortalecimento da matriz energética de baixo carbono no Estado. Esses são alguns dos objetivos firmados em decreto estadual assinado pela governadora Izolda Cela (PDT) que institui o Plano Estadual de Transição Energética Justa – Ceará Verde, e que confirma o Ceará na vanguarda do hidrogênio verde no mundo.

A assinatura ocorreu em reunião com a presença do Banco Mundial, que será parceiro do Ceará na assistência técnica para o desenvolvimento e produção de hidrogênio verde no estado. Segundo a governadora, o Ceará está se preparando para a descarbonização da sua economia como instrumento de desenvolvimento social, econômico e ambiental. A diretora do Banco Mundial no Brasil, Paloma Anós Casero, participou da reunião no Palácio da Abolição.

“O documento vai nos permitir criar toda uma ambiência favorável para atrair novos investimentos e financiamentos nesta área. Inclusive, já estamos em tratativas com o Banco Mundial para parceria de assistência técnica com a instituição na área de energia limpa”, antecipou Izolda.

O secretario Executivo de Regionalização e Modernização da Casa Civil, Célio Fernando, destaca que o interesse do Banco Mundial é legitimado porque reconhece projetos de Estado desenvolvidos, como O Ceará 2050, com diretrizes, objetivos, metas dentro de um planejamento estratégico estadual de longo prazo, além dos compromissos internacionais já assumidos pelo Estado do Ceará.

“O Ceará apoia o Pacto Global; é signatário dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS); aceita as diretrizes internacionais estabelecidas pelo Acordo de Paris e pela Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas (COP26). O nosso Estado está dentro dessa estratégia global, climática, que fala de uma ética global. Estamos aqui para atender não só ao Ceará e seu desenvolvimento sustentável, que fala da economia, fala do meio ambiente, fala também das questões sociais, por isso a nossa transição energética é justa”, pontuou o Fernando.

Reconhecimento do Branco Mundial

Paloma Anós Casero aponta que o Ceará sai na frente do Brasil em relação ao hidrogênio verde, de forma definitiva. “E essa reunião mostra que já temos uma parceria de longo prazo com o Ceará, e que, pelos recursos naturais que tem – a energia solar, a energia eólica e como se pode transformar todo o setor energético com uma visão de futuro e de baixo carbono – será um Estado que com muitas oportunidades no setor energético. E se dará de forma justa, para todos os cearenses. Nesse sentido o Banco Mundial tem a confiança de aprofundar essa parceria estabelecida, e esse reunião com a governadora e secretários prova isso, tanto no compromisso do banco em continuar apoiando na área de assistência técnica, como em potenciais parcerias financeiras com o Estado”, frisa a diretora do Banco Mundial no Brasil.

O Banco Mundial já iniciou suas cartas consultas ao Ceará. “Dentro da equação do equilíbrio fiscal do Ceará, essa situação nos proporciona sair na frente nessas conquistas, e essa parceria vai nos proporcionar muito conhecimento, e que nós temos que nos apropriar dessa assistência técnica e de sua chancela mundial”, destacou Célio Fernando.

(*) com informações do governo do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp