Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Segundo dados da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) de 2018, mais da metade da população está acima do peso e a obesidade atinge um a cada cinco brasileiros. No mundo, a projeção é de que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso e mais de 700 milhões obesos.

Mesmo com reeducação alimentar e praticando atividades físicas, muitas pessoas encontram dificuldade para alcançar o peso ideal. O intragástrico é uma alternativa para essas pessoas, pois é um procedimento que reduz a capacidade do estômago pela metade e provoca a perda de apetite e a saciedade, auxiliando no emagrecimento. De acordo com o cirurgião endoscópico, Helmut Poti, a introdução do balão intragástrico é feito por endoscopia e tem duração aproximada de 15 minutos. Não há corte ou grampeamento no estômago.

A colocação do Balão Intragástrico é um tratamento eficaz para aqueles pacientes com sobrepeso e obesidade que necessitam perder um pouco de peso antes da cirurgia, ou pacientes que não querem ser submetidos à cirurgia podem se beneficiar do tratamento endoscópico da obesidade. Entretanto, acima de tudo, a reeducação alimentar é essencial para o tratamento obter 100% de sucesso, explica o médico.

Para a inserção do balão, o paciente deve ter Índice de Massa Corpórea (IMC) a cima de 27. O cirurgião endoscópico que o balão é apenas um tratamento temporário.

O balão funciona como um estímulo para o emagrecimento, mas é importante manter uma vida saudável e equilibrada para obter um resultado ainda melhor, afirma.

O cirurgião lembra que é de responsabilidade do médico avaliar a necessidade da colocação do balão intragástrico.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp