Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

As campanhas de Henrique Meirelles (MDB) e Marina Silva (Rede) também acionaram a Justiça Eleitoral para tentar impedir a exibição da entrevista com Jair Bolsonaro (PSL) prevista para a noite desta quinta-feira (4) na Record.

Fernando Haddad (PT), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB) já haviam entrado com ações para barrar a veiculação, argumentando que ela fere o princípio de isonomia previsto na legislação eleitoral. O setor jurídico de Meirelles argumentou que a Record não convidou os demais presidenciáveis para entrevista nesta semana que antecede a votação.

“O escolhido foi, justamente, o candidato à Presidência da preferência do proprietário da emissora de televisão, que recentemente anunciou seu voto em rede social”, disseram os advogados do emedebista, mencionando o apoio do bispo Edir Macedo, da Igreja Universal, ao capitão reformado.  “Não pode haver tratamento privilegiado”, afirmou o advogado Rafael Motta, da campanha de Marina.

Com informação Folha de São Paulo