Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Divulgados nesta segunda-feira (17), os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) revelam que a economia do País também contabiliza números positivos no setor de contratações formais. Segundo o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, os resultados são consequências das medidas que o governo tem adotado nos últimos meses.

“A economia dá sinal de recuperação. É melhor que seja gradual do que ter uma bolha que depois vai estourar”, afirmou Ronaldo Nogueira. Esse foi o melhor primeiro semestre na geração de empregos desde 2014. No acumulado do ano, o saldo positivo foi de 67.358 vagas, enquanto em 2016 (-531.765 postos) e 2015 (-345.417 postos) o saldo foi negativo no período.

Em junho foram abertos 9.821 postos de trabalho em todo o País. Das 27 unidades da Federação, 18 tiveram saldo positivo no mês passado – mais do que em maio, quando foram 13 estados. “Comparando os resultados deste ano com os de 2016, temos claramente uma reversão de tendências”, ressaltou o ministro.

Ronaldo Nogueira lembrou que algumas áreas ainda não apresentaram resultados positivos em junho, devido a fatores sazonais e regionais. Mas, segundo ele, mesmo nesses casos os números foram melhores do que nos dois anos anteriores. “No período de crise, em 2015 e 2016, os resultados negativos eram generalizados”, disse.

Otimismo

Ronaldo Nogueira também afirmou que o ajuste de contas do governo, “para não gastar de forma desordenada”; a liberação das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e a expansão do prazo para o saque do abono salarial foram medidas importantes para o resultado positivo do primeiro semestre de 2017.

Para o ministro, outro motivo para otimismo é a sanção da modernização da legislação trabalhista pelo presidente Michel Temer, no último dia 13 de julho. A expectativa é de que, já no segundo semestre deste ano, essa medida tenha impacto positivo sobre o mercado de trabalho. “A modernização traz segurança jurídica para o empresário contratar. Logo o mercado vai dar sinais de confiança naquilo que o Brasil esperava há tanto tempo e que agora foi feito”, afirmou Ronaldo Nogueira.

Com informações do Ministério do Trabalho