Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Quando o assunto é plano de saúde, cuidado para o barato não sair caro. Os órgãos de defesa do consumidor  estão atentos à oferta – cada vez maior e mais frequente, de planos de saúde com coparticipação ou franquia. A oferta se torna atrativa para os clientes que imaginam que, com essa modalidade, terão menos despesas. A realidade, porém, é outra: o pagamento de uma taxa extra toda vez que o cliente usar o plano para consultas e exames pode encarecer a conta a ser desembolsada a cada mês. A recomendação de especialistas que acompanham os serviços prestados pelos planos de saúde é que as  modalidades de planos no sistema de coparticipação ou franquia devem ser evitadas principalmente por pessoas idosas e portadoras de doenças preexistentes, que têm maior necessidade de usar o plano. De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) metade dos beneficiários tem essa modalidade.  Você pode contribuir para melhoria dos serviços prestados pelas empresas particulares de saúde. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) está com uma consulta pública – aberta até o dia dois de maio, para colher contribuições para baixar uma Resolução Normativa sobre coparticipação e franquia nos planos de saúde. A iniciativa tem por objetivo dar mais segurança e transparência e estabelecer regras de uso para os planos de saúde em sistema de coparticipação e franquia. Confira o editorial completo no player abaixo:

Editorial-18.04