Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O ministro do STF, Luiz Fux, concedeu liminar nesta quinta-feira (1º), proibindo o ministro Sérgio Moro de destruir provas obtidas com “hackers” investigados na “Vaza-Jato”. A liminar atendeu a uma ação do PDT, que tem o ex-ministro Ciro Gomes como um dos advogados que a subscrevem.

A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) solicitou uma medida liminar de urgência contra o crime pretendido pelo ministro Sérgio Moro.

“Defiro a liminar, ad referendum do Plenário, com fulcro no art. 5o, § 1o, da Lei n.o 9.882/99, nos exatos termos requeridos na inicial, para determinar a preservação do material probatório já colhido no bojo da Operação Spoofing e eventuais procedimentos correlatos até o julgamento final desta ADPF”, relata o Min Fux.

Para o ex-ministro Ciro Gomes, o PDT cumpriu a sua obrigação com a República.

“Conseguimos uma liminar na Justiça, numa ação de nossa iniciativa, proibindo o sr Sérgio Moro de praticar a suprema arbitrariedade de destruir provas que amanhã possam eventualmente demonstrar a sua responsabilidade em possíveis crimes”, diz Ciro.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp