Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A boa quadra invernosa nos primeiros meses de 2017 contribuiu para uma redução significativa nos setores de frutas e hortaliças durante o mês de maio. O comparativo elaborado pelo Sistema de Informação de Mercado (SIMA) da Ceasa Ceará mostra que em relação ao mesmo período do ano passado a queda em alguns alimentos foi relevante.

Os destaques são: mamão formosa (– 42,49%); maracujá (-38,13%), e uva Itália (-28,57%). Já no setor das hortaliças as maiores quedas foram detectadas na cebola roxa (-52,13%); cebola pera (-49,27%); batata inglesa (-46,67%); abóbora caboclo (-28,67%) e abóbora leite (-16,67%).

O mamão formosa cultivado no Ceará, nos municípios de Paraipaba, Maranguape e Pentecoste e proveniente também do Rio Grande do Norte, foi comercializado em maio de 2017 por R$ 1,55 o quilo, já no mesmo período de 2016 era vendido por R$ 2,70. Caso semelhante aconteceu com o maracujá que era vendido por R$ 6,95 o quilo em 2016 e em maio deste ano a fruta caiu para R$ 4,30. O maracujá é cultivada no Ceará na região da Serra da Ibiapaba.

No comparativo aparece também a uva Itália cultivada em Pernambuco, na região do Vale do São Francisco. A uva foi comercializada por R$ 5,60 no ano passado e em maio deste ano, por R$ 4,00 o quilo.

Em relação às hortaliças as maiores reduções foram na cebola roxa e pera. A primeira vendida por R$ 4,70 em maio de 2016 passou a ser comercializada por R$ 2,25 o quilo em 2017. Já a cebola pera passou de R$ 3,85 em maio de 2016 para R$ 1,95 o quilo em maio deste ano. Em terceiro lugar vem a batata inglesa com o preço de R$ 4,50 em maio de 2016 passando para R$ 2,40 o quilo este ano.

Odálio Girão, analista de Mercado da Ceasa, explica que esse cenário é resultado das boas colheitas influenciadas pelas chuvas nos primeiros meses do ano. Ele afirma que as chuvas colaboraram tanto na produção natural quanto na agricultura de irrigação e acredita que os preços em junho e julho devem se manter em baixa, principalmente nas frutas e hortaliças que estão em plena safra.

Com informação da A.I