Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A sessão dessa quinta-feira, 15, na Assembleia Legislativa do Estado teve a segurança pública como principal tema de discussão. Base governista e oposição argumentaram a favor e contra a gestão do governador Camilo Santana (PT) e do secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, André Costa.

Líder do Governo na Casa, o deputado Evandro Leitão (PDT) destacou a existência de um plano estadual de segurança que, segundo ele, está sendo seguido rigorosamente pelo governo. Para ele, os resultados não são obtidos “da noite para o dia”, mas com muitas ações em educação, cultura, saúde, e “ninguém pode negar que o governo está fazendo isso”, defende.

Renato Roseno (Psol) discordou do argumento da fala de Leitão sobre as ações preventivas na área da educação e cultura, por exemplo. Segundo ele, o caminho não está na repressão, mas nas atitudes preventivas. Caso estivesse certo, defende, a taxa de homicídios teria caído.

O deputado estadual Capitão Wagner (PR) apresentou dados da Secretaria do Tesouro Nacional referentes aos gastos com Segurança Pública de todos os estados do País. Segundo ele, o Ceará investe pouco e errado na área. “A gente ficou mais preocupado ainda quando a gente fez os dados de 2017 e viu o investimento do Estado do Ceará em inteligência e informação foi de 0%”, afirmou Wagner em áudio enviado pela sua assessoria de comunicação.

Se posicionou ainda o deputado Ely Aguiar (PSDC). Ele adotou o discurso de não culpar diretamente o governador Camilo Santana, a quem não atribuiu omissão. Entretanto, na contramão do que pensa Roseno, Aguiar diz que “tem de ir pra cima”. Outro ponto levantado pelo parlamentar foi o fato de que a Casa não é chamada para discutir com a alta cúpula do Governo a questão da segurança pública.

Com informações do Jornal O Povo