Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Ceará (Adagri), reforça a importância da adoção do vazio sanitário na cultura do algodão a partir do próximo dia 1º de outubro até 31 de dezembro. A medida foi estabelecida na Portaria Adagri Nº 140 de 16/11/2018, publicada no Diário Oficial 21 de novembro de 2018.

O vazio sanitário é período de ausência total de plantas vivas onde o produtor realiza a eliminação das soqueiras por meio físico, mecânico ou químico, logo após a colheita. Essa medida agrícola é uma das principais formas usadas na agricultura para erradicar e prevenir as lavouras contra os ataques de pragas que podem comprometer e até devastar toda a produção, especialmente a praga do Bicudo-do-algodoeiro. A medida deve ser adotada pelo proprietário, arrendatário ou detentor a qualquer título de áreas cultivadas com algodão.

Segundo o coordenador de Programação do Agronegócio da Sedet, Euvaldo Bringel, “é fundamental que todos os produtores façam a eliminação das soqueiras e restos culturais do algodão até o próximo dia 1º de outubro para não ser notificado”, destaca.

O documento prevê que o proprietário que não atender a exigência do vazio sanitário será notificado e terá um prazo de 15 (quinze) dias para atender a notificação. Caso contrário, ele será autuado e a Adagri realizará compulsoriamente a eliminação das soqueiras e plantas voluntárias ou tigueras, sendo que as despesas correrão à conta do proprietário, sem prejuízos das penalidades cabíveis.

Outras medidas obrigatórias e critérios para o cultivo do algodão, prevenção e controle da praga Bicudo-do-Algodoeiro estão estabelecidos na Portaria. Confira.

*com informações do Governo do Estado do Ceará.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp