Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A Executiva do PSDB em São Paulo criticou e manifestou “desconforto” em relação aos encontros entre o senador Aécio Neves (MG), afastado da presidência do partido após ser acusado de pedir R$ 2 milhões do empresário Joesley Batista, e o presidente Michel Temer (PMDB).

Os dois tiveram uma reunião levando a executiva do diretório municipal do PSDB a soltar uma nota de repúdio. A nota diz o seguinte: “A presença de Aécio Neves hoje, em reuniões internas ou públicas, só nos causa desconforto e embaraços. Prove sua inocência, senador, e aí sim retorne ao partido”, afirmou o diretório, acrescentando que o senador Tasso Jereissati (CE), presidente em exercício da sigla, é quem pode falar em nome do PSDB.

Após a repercussão negativa do encontro, Temer informou nesse domingo, através de seu Twitter, que o encontro com o senador mineiro foi para tratar da Cemig, dona de quatro hidrelétricas que o governo federal pretende relicitar para levantar R$ 11 bilhões e reduzir o rombo das contas públicas.

Em sua nota, a executiva do diretório do PSDB em São Paulo disse repudiar “veementemente” qualquer tentativa de articulação político-partidária entre Aécio e Temer.