Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A única Unidade de Conservação (UC) marinha do Ceará está completando 20 anos. Nesta quinta-feira, 16 de novembro, durante todo o dia, um seminário celebrará a data, reunindo os principais atores que fazem parte do dia-a-dia do Parque Estadual Marinho Pedra da Risca do Meio, criado em 05/09/1997. O evento, que acontece no auditório do Parque do Cocó, tem como público-alvo estudantes, pesquisadores, pescadores artesanais e mergulhadores.

“A Pedra da Risca do Meio é um convite para mergulhadores ou para quem busca conhecer a rica biodiversidade dos corais do litoral de Fortaleza. Estamos avançando na constituição de um Plano de Manejo e consolidando investimentos para aquele espaço”, explicou o secretário do Meio Ambiente do Ceará, Artur Bruno.

O Seminário comemorativo terá como temas questões com a biotecnologia (estudos sobre algas presentes na área do parque), gestão (memória e história), educação ambiental (relatos de experiência sobre educação ambiental voltada para o ambiente marinho pelos projetos TAMAR, Limpando o Mundo e Recife Vivo) e mergulho (impressões da Escola de Mergulho Mar do Ceará).

O Parque será contemplado com recursos do Projeto Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas – GEF-Mar, projeto do Governo Federal criado e implementado em parceria com instituições privadas e da sociedade civil, para promover a conservação da biodiversidade marinha e costeira. O projeto busca apoiar a criação e implementação de um Sistema de Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas (AMCPs) no Brasil a fim de reduzir a perda de biodiversidade marinha e costeira. A Risca do Meio foi uma das seis unidades selecionadas, juntamente com outras da Paraíba, Bahia, Maranhão, Pernambuco e Espírito Santo.

Um dos desdobramentos deve ser a formalização da parceria com o Labomar/UFC, que permitiria o uso de equipamentos da instituição, tanto para pesquisa como para fiscalização. Espera-se também viabilizar a compra de equipamentos para permitir o monitoramento adequado da região. Atualmente, o Conselho Gestor da UC realiza inspeções com ajuda do Labomar e Escolas de Mergulho.

O Parque, situado a 18km da costa, saindo do Mucuripe, e 33km de área, tem variações de 15 a 30 metros de profundidade, com flora e fauna extremamente ricas, com cardumes de peixes de 168 espécies, lagostas, moreias, esponjas, algas, golfinhos, tartarugas e tubarões. O nome do Parque vem das formações rochosas ou de coral existentes no local, chamadas pelos pescadores como “riscas” ou “cabeços”. A UC fica na porção central da área, por isso “Pedra da Risca do Meio”, informa Izaura Lila, gestora da unidade.

Com Informações Governo do Estado do Ceará

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp