Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A única Unidade de Conservação (UC) marinha do Ceará está completando 20 anos. Nesta quinta-feira, 16 de novembro, durante todo o dia, um seminário celebrará a data, reunindo os principais atores que fazem parte do dia-a-dia do Parque Estadual Marinho Pedra da Risca do Meio, criado em 05/09/1997. O evento, que acontece no auditório do Parque do Cocó, tem como público-alvo estudantes, pesquisadores, pescadores artesanais e mergulhadores.

“A Pedra da Risca do Meio é um convite para mergulhadores ou para quem busca conhecer a rica biodiversidade dos corais do litoral de Fortaleza. Estamos avançando na constituição de um Plano de Manejo e consolidando investimentos para aquele espaço”, explicou o secretário do Meio Ambiente do Ceará, Artur Bruno.

O Seminário comemorativo terá como temas questões com a biotecnologia (estudos sobre algas presentes na área do parque), gestão (memória e história), educação ambiental (relatos de experiência sobre educação ambiental voltada para o ambiente marinho pelos projetos TAMAR, Limpando o Mundo e Recife Vivo) e mergulho (impressões da Escola de Mergulho Mar do Ceará).

O Parque será contemplado com recursos do Projeto Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas – GEF-Mar, projeto do Governo Federal criado e implementado em parceria com instituições privadas e da sociedade civil, para promover a conservação da biodiversidade marinha e costeira. O projeto busca apoiar a criação e implementação de um Sistema de Áreas Marinhas e Costeiras Protegidas (AMCPs) no Brasil a fim de reduzir a perda de biodiversidade marinha e costeira. A Risca do Meio foi uma das seis unidades selecionadas, juntamente com outras da Paraíba, Bahia, Maranhão, Pernambuco e Espírito Santo.

Um dos desdobramentos deve ser a formalização da parceria com o Labomar/UFC, que permitiria o uso de equipamentos da instituição, tanto para pesquisa como para fiscalização. Espera-se também viabilizar a compra de equipamentos para permitir o monitoramento adequado da região. Atualmente, o Conselho Gestor da UC realiza inspeções com ajuda do Labomar e Escolas de Mergulho.

O Parque, situado a 18km da costa, saindo do Mucuripe, e 33km de área, tem variações de 15 a 30 metros de profundidade, com flora e fauna extremamente ricas, com cardumes de peixes de 168 espécies, lagostas, moreias, esponjas, algas, golfinhos, tartarugas e tubarões. O nome do Parque vem das formações rochosas ou de coral existentes no local, chamadas pelos pescadores como “riscas” ou “cabeços”. A UC fica na porção central da área, por isso “Pedra da Risca do Meio”, informa Izaura Lila, gestora da unidade.

Com Informações Governo do Estado do Ceará