Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com mais de 300 participantes, o Governo do Ceará, por meio da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), realizou na quarta-feira (dia 02 de agosto), a última das 14 oficinas de monitoramento do Plano Plurianual (PPA- 2016-2019). O encontro aconteceu na cidade de Crateús e incluiu outros 12 municípios da região: Ararendá, Catunda, Hidrolândia, Independência, Ipaporanga, Ipueiras, Monsenhor Tabosa, Nova Russas, Novo Oriente, Poranga, Santa Quitéria e Tamboril.

Nesta última oficina do PPA, além do número expressivo de participantes, houve presença marcante de representantes de vários grupos sociais. Além de autoridades municipais e de órgãos do Estado do Ceará, compareceram ao evento lideranças sindicais, de associações comunitárias e representantes de quilombolas e de etnias indígenas da região.

Antônio Iranilson da Silva, por exemplo, que representou os indígenas Tabajaras e Kalabás – das localidades de Umburana e Cajueiro, no município de Poranga, e que reúnem cerca de 1,4 mil pessoas – participou da oficina do PPA na expectativa de ver demarcada áreas para “ouvir, aprender e obter benefícios para a sua comunidade”.

“Além de mais atenção à saúde e educação dos nossos povos, queremos muito a demarcação das nossas terras. A relação do indígena coma terra é sagrada e precisa ser reconhecida”, afirmou Iranilson da Silva. A presidente da Associação Comunitária do distrito de Oiticica em Crateús, Camila Soares, por sua vez, compareceu ao evento com a preocupação da reivindicar melhoria do acesso rodoviário, com extensão de 22 quilômetros, à sua localidade.

“É lá que têm início o Cânion do Rio Poti, além de uma rica presença de inscrições rupestres. Recebemos visitantes do Brasil e do exterior e pesquisadores, mas o acesso é muito difícil, às vezes só feito em veículos com tração 4×4”, explicou. “Com a melhoria do acesso, que nem precisa ser em pavimento asfáltico, teríamos repercussão importante no turismo e até no acesso das pessoas da nossa comunidade à educação e atendimento emergencial na saúde”.

Enoque Marques, do assentamento rural Apuí, em Crateús, que reúne 36 famílias numa área de 2,1 mil hectares, levou à oficina do PPA preocupação com a questão hídrica. “Água continua sendo nossa prioridade. Sem ela, não há produção nem renda no campo e ficamos dependendo de aposentadorias e do bolsa-família”, ponderou o agricultor e membro do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município, e que já participou de outras reuniões do PPA.

O prefeito de Independência, Alceu Coutinho, também colocouno evento a questão do acesso à água como prioridade. “Já temos uma população urbana da ordem de 58%. Se não houver mais atenção dos governos federal e estadual a esta questão, vamos conviver muito em breve com um êxodo da população rural para as áreas urbanas. E as prefeituras, no geral, não têm condições de atender a contento essa quantidade de pessoas”.

Alceu Coutinho também compareceu ao evento com a expectativa de incluir no PPA o asfaltamento de um trecho de cerca de 100 quilômetros da estrada CE- 176, que concluiria a ligação da Serra da Ibiapaba à Região do Cariri. “Essa obra supriria um vazio que ainda temos no Sertão Central e traria muitos benefícios para a região, principalmente para os municípios de Tauá, Independência e Tamboril”, relatou.

O prefeito de Cratéus, Marcelo Ferreira Machado, que abriu a oficina regional do PPA, também avalia que a demanda imediata para os 14 municípios é a questão hídrica, mas outras questões precisam ser incluídas no sistema de planejamento estadual. “Reconhecemos o trabalho do governo estadual, mas precisamos avançar em áreas como saúde e educação e geração de empregos. Crateús em uma “cidade pólo regional” e precisa de estrutura para ser merecedora desse título”, disse.

Marcelo Machado também ressaltou a importância da reunião do PPA, que foi realizado na cidade de Crateús para estabelecer avanços para a região. “ Fiz questão de trazer quase todos os meus secretários municipais, pois entendo que esse é um momento singular de diálogo com o governo, no qual podemos, de forma organizada, transmitir nossos anseios e preocupações para o governo estadual. Todos estão aqui presentes com essa boa expectativa”, afirmou.

O coordenador de planejamento da Secretaria Estadual do Planejamento e Gestão, Avilton Júnior, concluiu a última reunião do PPA – cujas oficinas tiveram início no dia 14 de maio – com uma avaliação positiva dos encontros. “No geral, durante os eventos, houve uma discussão bastante qualificada sobre temas importantes e atuais, que resultaram em contribuições muito valiosas para a construção do planejamento estadual do Ceará”.

Durante os encontros regionais do PPA, ele destacou como assuntos mais demandados, além da questão dos recursos hídricos, preocupações com meio ambiente – principalmente o tratamento de resíduos sólidos, assistência técnica para a agricultura familiar, a criação de mais escolas em tempo integral e atenção. “Vamos sistematizar todas as discussões e em breve teremos em relatório técnico importante para a tomada das futuras decisões governamentais”, ponderou.

Com Seplag