Categorias
Bate-Papo político Destaque1

Bate-Papo: Lula quer fazer medição de forças contra o “Bolsonarismo” em 2020, diz Beto Almeida

Almejando retomar a credibilidade e influência política do partido no país, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva dissemina dentro do PT o pensamento de que a sigla deve ter candidaturas próprias nas eleições de 2020. O assunto foi destaque no Jornal Alerta Geral desta terça-feira (29).

Dentro do Bate-Papo político, os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida comentaram as articulações de Lula que, após a derrota nas eleições e o descrédito por parte da população, tenta reerguer o partido que esteve no comando do país por 12 anos

Para o jornalista Beto Almeida, a ideia do ex-presidente de promover candidaturas próprias nos pleitos municipais a fim de fortalecer as bases do partido é correta, mas no fundo, há outra desejo pro trás:

“Essa estratégia do ex-presidente Lula, ela é correta, mas do ponto de vista do ex-presidente, o que ele quer na realidade é fazer uma medição de forças com o Bolsonarismo no ano que vem. Ele quer meio que colocar um plebiscito pra, principalmente nas capitais, se definir com quem de fato o eleitorado está”

Beto ainda completa que as eleições de 2020, que definirão novos gestores municipais e novos membros nas câmaras dos municípios, deverão caracterizar-se por um debate muito mais nacionalizado. “O que já se está de olho aqui é 2022”, pontua o jornalista.

Embora possua grande influência e seja o maior mentor dentro do PT, o ex-presidente não possui ampla aceitação de sua ideia. Há dentro da sigla o sentimento de que o partido deva construir alianças e fortalecer uma frente de esquerda para chegar mais forte nas disputas eleitorais, porém, Lula quer o partido sozinho na luta pelo poder.

Na leitura do jornalista Luzenor de Oliveira a estratégia de Lula também é correta: “Se interpreta como correta está estratégia do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva porque ele está naquele jogo, perdido por um, perdido por 10. Então agora pra recuperar terreno somente com nomes próprios”

No Ceará 

No estado do Ceará, o pensamento de Lula se alinha com o da deputada federal Luizianne Lins, que cogita possibilidade de candidatar-se à prefeitura da capital cearense no ano vindouro.

“Aqui no Ceará vai ser um embrólio essa decisão. Não é uma visão que tem maioria dentro do partido, o que se coloca é que há uma perspectiva de que o PT quer fazer aliança”, afirma Beto.

“Mas o sentimento é de que no primeiro turno nós teremos o PT com candidatura própria e no segundo turno é outra briga”, complementa Luzenor de Oliveira.

No fim, Beto Almeida destaca que o diante da situação de discordância de preferências, “o peso e a decisão do governador Camilo Santana nessa questão” será muito decisivo e influente nos próximos passo do partido dentro do estado.

Categorias
Política Nacional

‘Tentativa de golpe de direita na Venezuela’, repudia o PT em nota oficial

O PT divulgou através do seu site nesta terça-feira, 30, uma nota oficial condenando a tentativa de golpe da “direita golpista e antichavista” na Venezuela. Assinada pela presidente do partido, a deputada Gleisi Hoffmann, a nota acusa a oposição venezuelana de há anos tenta derrubar um governo legitimamente eleito.

O líder opositor Juan Guaidó anunciou em frente a uma base aérea em Caracas ter o apoio de militares para derrubar o presidente Nicolás Maduro nesta manhã.

Confira a nota na íntegra:

O Partido dos Trabalhadores condena a recente tentativa de golpe na Venezuela, levada a cabo pela oposição da direita golpista e antichavista.

Estes grupos opositores tentam há anos derrubar o governo democraticamente eleito do Partido Socialista Unido da Venezuela. Seu fracasso em alcançar este objetivo é um resultado claro do apoio que o partido e seu governo tem junto às pessoas, após anos de políticas voltadas ao bem-estar da população e contrárias à exploração imperialista e das elites locais.

Não aceitamos atitudes antidemocráticas como estas. A solução dos problemas venezuelanos passa por levantar o embargo econômico internacional de que o país e, principalmente, sua população, são vítimas. É importante que as forças democráticas busquem o caminho do diálogo e levem em consideração a vontade expressa no voto popular.

A paz na Venezuela é uma luta de todas e todos os democratas latino-americanos e do mundo.

Categorias
Política Nacional Política

Heitor Freire compara esquerda à ‘novela mexicana’ e espera debater Reforma na Comissão Especial

O deputado federal, Heitor Freire (PSL), voltou a fazer duras críticas à esquerda brasileira. Freire, que é conhecido por ter um discurso ferrenho, crítico ao que chama de “velha política”, disse, nesta segunda-feira (22), que a esquerda quer “atrasar a vida do cidadão brasileiro“. A declaração foi feita em entrevista ao Jornal Alerta Geral (Expresso FM 104.3 na Capital + 26 emissoras do Interior), enquanto a reforma da Previdência espera parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que debate a constitucionalidade da proposta.

Questionado, Freire disse, ainda, que a esquerda é “dramática” e comparou as falas de deputados de oposição à “novela mexicana“. O deputado questionou a forma como a oposição está se comportando em relação às principais propostas de reforma apresentadas pelo governo que, segundo ele, são necessárias ao país. “Eles querem é baldear. Eles querem que o país quebre para eles voltarem ao governo. Segundo o deputado, a intenção da oposição é causar baderna para desestabilizar o governo.

Freire falou, também, que, quando era oposição, onde lembrou dos governos petistas, chegou a rezar para que desse certo, fazendo referência aos ex-presidentes Lula e Dilma.

Mesmo quando a oposição estava no poder, eu ainda orava para que a Dilma, o Lula, (que) Deus iluminasse a cabeça deles para que o Brasil fosse para cima, porque eles eram o piloto desse avião.

Deputado federal, Heitor Freire 

+ CCJ define constitucionalidade da Reforma nesta terça-feira (23)

Em um bate papo com os jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida, o deputado federal disse que não falta articulação para o governo aprovar a Reforma Previdenciária. Segundo ele, “o governo fez sua parte”, apresentou a proposta, agora cabe, segundo Freire, aos deputados “discutir e melhorar o projeto“. Aproveitando o momento, Freire falou sobre as derrotas sofridas pelo governo, na CCJ, nas últimas semanas. Segundo Freire, “eles (deputados da oposição) estão fazendo muito barulho, é gritaria”, o que acabou atrasando a votação ainda nessa primeira fase.

+ CCJ: votação da reforma da previdência é adiada para próxima semana

O deputado federal, que disse esperar compor a Comissão Especial que, após o parecer da CCJ, discutirá o mérito da proposta (onde pontos como BPC e Aposentadoria Rural serão debatidos), questionado pelo jornalista Luzenor de Oliveira sobre os pontos mais polêmicos da proposta, afirmou que “o governo não tem que ceder em nada; nós temos que discutir e melhorar o projeto“. Para ele, o texto apresentado pelo presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), é justo, mas, “se a sociedade quer debater”, os deputados irão “discutir e melhorar”.

 

Categorias
Política

CCJ: Beto Almeida destaca tecnicidade de Paulo Guedes e fragilidade do PT em fazer oposição

“Essa briga protagonizada pelo [deputado federal] Zeca do PT mostrou claramente duas coisas: primeiro o preparo técnico do ministro Paulo Guedes e segundo o quanto o PT, de fato, continua perdido no meio dessa confusão em busca de se fazer oposição”, afirmou Beto Almeida sobre a audiência pública na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, com o ministro da Economia Paulo Guedes nessa quarta-feira para esclarecer pontos sobre as mudanças na previdência social, no Jornal Alerta Geral desta quinta-feira (4).

Guedes admite possibilidade de remover as mudanças do BPC e da aposentadoria rural da Reforma da previdência. Ton Silva | Redação.

No entanto, Luzenor de Oliveira afirma que a ida de Guedes a Câmara Federal não foi perdida.

“O ministro expôs tecnicamente os números e cabe a que discorda contestar, mas de forma elegante e educada. Alguns estavam alí não para questionar ou tirar dúvidas, mas para provocar”, afirmou o apresentador do Jornal Alerta Geral.

Após seis horas de audiência marcada pela exaltação e bate boca, tanto dos deputados quanto do ministro, a reunião foi encerrada abruptamente depois que o deputado Zeca Dirceu, do PT de São Paulo. chamou Guedes de tchutchuca. O ministro revidou, dizendo que “tchutchuca é a mãe, tchutchuca é a vó”.

Para Beto Almeida, a participação e a provocação do deputado federal Zeca do PT mostra que o partido “perdeu o prumo”.

“O PT não é mais só um partido que está na oposição. Ele foi governo. Esteve durante quase 16 anos no governo. Estava na condição inclusive de mostrar ao Paulo Guedes alternativas, de dizer o que poderia fazer de diferente de forma concreta e não o fez. Partiu para fazer uma oposição irresponsável, uma oposição moleque”, analisou Beto Almeida.

Categorias
Geral

PT apresenta projetos para sustar decreto das armas e do sigilo de documentos

O Partido dos Trabalhadores (PT) apresentou projetos para sustar dois decretos do presidente Jair Bolsonaro: um que facilita a posse de armas de fogo e outro que amplia o número de autoridades que podem impor sigilo ultrassecreto a dados e documentos do governo. O vice-líder do PT, senador Rogério Carvalho (SE), disse que o partido vai cobrar a votação das duas iniciativas. Já o líder do PSL, senador Major Olimpio (SP), não acredita na derrubada dos decretos por considerar que ambos têm o respaldo popular. A reportagem é de Hérica Christian, da Rádio Senado.

Categorias
Política Destaque1 Destaque3

Mourão critica acordo entre governadores do Ceará e Bahia

O vice-presidente Hamilton Mourão criticou o acordo feito entre o governador Camilo Santana (PT) e Rui Costa (PT), governador da Bahia, que mantém, desde o dia 5 de janeiro, um contingente de cerca de 100 policiais militares baianos no Ceará para ajudar a controlar a crise de segurança no Estado.

Além de Mourão, outros militares das Forças Armadas não gostaram do acordo. Para eles, o empréstimo não deveria ter sido feito sem o intermédio do governo federal. Eles também criticam supostos objetivos políticos na medida.

Em entrevista ao portal Uol, o vice-presidente disse que “no meio de uma crise dessa natureza, o governador da Bahia mandar cem policiais para o Ceará é igual a tapar um buraco com uma pedrinha. Foi mais uma jogada de marketing“.

O governo bahiano negou as acusações, afirmando que o empréstimo segue “o preceito de mútua cooperação entre os entes federados, contemplado na Constituição“. Os policiais cedidos devem voltar à Bahia neste sábado, 19.

Categorias
Geral Destaque2

Decreto de Bolsonaro divide Câmara. PT e PSOL preparam Ação Direta de Inconstitucionalidade

O decreto que flexibiliza a posse de armas de fogo divide opiniões na Câmara dos Deputados. Até o momento, os dois partidos que se propuseram a ser a maior oposição do governo de Jair Bolsonaro, PT e PSOL, já se articulam para contestar o decreto assinado nessa terça-feira (15).

O PT pretende entrar entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), no Supremo Tribunal Federal, e um Projeto de Decreto Legislativo (PDC) na Câmara dos Deputados – estratégia que também será adotada pelo PSOL.

Ambas ações têm o objetivo de suspender o decreto.

Opiniões contrárias

Líder do DEM (BA), o deputado Elmar Nascimento concorda com a medida anunciada pelo governo, que diz atender à vontade da sociedade brasileira.Para o parlamentar, a medida reduz a subjetividade do processo.

“É importante que tenhamos critérios objetivos no trâmite da posse de armas, para evitar riscos e injustiças, e realmente a medida beneficiar o cidadão comum”.


Manifestou-se Elmar, em nota divulgada no site do partido.

Já o líder do PT (RS) , deputado Paulo Pimenta, considera o decreto inconstitucional e acredita que a medida pode aumentar a violência no País.

O parlamentar anunciou nesta terça-feira (15), horas após a assinatura do decreto, que o partido vai questionar a medida no Supremo Tribunal Federal (STF), por meio de uma ação direta de inconstitucionalidade (ADI) a ser protocolada nos próximos dias. Pimenta disse ainda que apresentará em fevereiro à Câmara um projeto de decreto legislativo (PDC) com o objetivo de sustar o decreto.

Medida que será adotada também pelo PSOL.

Categorias
Geral Destaque2 Destaque3

Bolsonaro diz que garantirá posse de armas de fogo. PT faz forte oposição

O presidente eleito Jair Bolsonaro anunciou neste sábado (29) que pretende garantir, por decreto, a posse de armas de fogo para cidadão sem antecedentes criminais além de tornar o registro do equipamento definitivo.

Especialistas afirmam que o presidente não teria poder para alterar o Estatuto do Desarmamento, no entanto, haveria brecha na legislação para que ele faça alterações nos requisitos exigidos para o registro e a posse de armamento, por exemplo.

PT tentará barrar decreto de armas de Bolsonaro

A equipe de técnicos que assessora o Partido dos Trabalhadores (PT) no Congresso está elaborando um estudo que identifique quais seriam os limites de um decreto presidencial que pudesse facilitar a posse de armas, como promete o presidente eleito Bolsonaro.

A análise inicial da assessoria afirmam que há possibilidade para que os petistas criem um projeto de decreto legislativo que tente barrar os efeitos de medida editada por Jair Bolsonaro.

De acordo com a interpretação dos técnicos da oposição, Bolsonaro poderia modificar a forma e a periodicidade das avaliações técnicas e de aptidão psicológica para a posse de armas, mas não poderia vetar a obrigatoriedade desses requisitos.

Oposição à liberação da posse de arma no país cresce e atinge 61%

De acordo com a pesquisa mais recente do Datafolha, a quantidade total de brasileiros que afirmam ser contra à liberação da posse de armas de fogo cresceu desde outubro.

Em dezembro, 61% dos entrevistados afirmaram que a posse deveria “ser proibida, pois representa ameaça à vida de outras pessoas”. No levantamento anterior, de outubro, 55% concordavam com essa posição.

Nesse mesmo período, a parcela de pessoas que considera a posse de armas “um direito do cidadão para se defender” diminuiu, passou de 41% para 37%, isto é, no limite da margem de erro da pesquisa, que é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Outros 2% não souberam responder.

A pesquisa do Datafolha entrevistou 2.077 pessoas em 130 municípios em todas as regiões do país, nos dias 18 e 19 de dezembro.

O correspondente do Jornal Alerta Geral, Carlos Silva, tem mais informações sobre o assunto para você. Acompanhe: