Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

A transposição das águas do Rio São Francisco pode ter gestão privada. É o que afirmou o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, em entrevista ao site Poder 360. O titular da pasta explicou que a concessão não será do restante da obra — já em fase final — mas sim da operação, que custará R$ 500 milhões ao ano. Ele afirmou que a decisão ainda está sendo analisada.

O modelo de concessão está sendo elaborado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A meta é que o projeto fique pronto no próximo ano. O ministro garante que o impacto é direto nos quatro estados que compõem a integração do São Francisco: Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba. Ele afirma que Alagoas e Bahia, estados da região da bacia do rio, também terão benefícios.