Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Nem mesmo teve inicio oficialmente a corrida eleitoral no Ceará, e Tribunal Regional Eleitoral já recebeu a primeira representação referente a disputa deste ano. Trata-se de uma ação contra a publicação de pesquisas eleitorais.
A representação é proposta pela coligação PSDB/PROS, contra o senador Eunício Oliveira (MDB), e Patrícia Rodrigues Paes de Andrade, representante do IFT. Com Editoração Eletrônica Ltda-ME.
O processo está nas mãos do juiz Tiago Asfor Rocha Lima, que vai relatar o mesmo. Conforme o advogado Maia Filho, que representa os reclamantes, a pesquisa é “fraudulenta”, embora tenha sido registrada no Tribunal Superior Eleitoral, paga pelo diretório nacional do MDB.
Na petição ele afirma que a “pesquisa familiar” é “flagrantemente adulterada para enganar o eleitor do Ceará, com o resultado fraudado de que estaria bem avaliado nas pesquisas de intenção de votos”.
O advogado solicita que a Justiça Eleitoral declare “o caráter fraudulento da pesquisa eleitoral, sendo determinada, a inclusão do esclarecimento de que a pesquisa foi realizada por empresa pertencente à cunhada do senador Eunício Oliveira, e não incluiu o general Theophilo e colocou no questionário sempre em primeiro ou segundo lugar o seu nome”.
Solicita a abertura de inquérito policial perante o Supremo Tribunal Federal, sob condução da Polícia Federal.