Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O Ceará bateu recorde no número de apreensões de armas no mês de maio. A quantidade é a maior registrada desde 2013. Os dados são da Secretária de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

A polícia recolheu 657 armas só no mês passado. Tal investimento não tem sido suficiente para impactar nas estatísticas de homicídios. Maio foi também o mês recorde de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs), com registro de 471 assassinatos no Estado.

De janeiro a maio deste ano, conforme a SSPDS, foram apreendidas 3.019 armas, enquanto no mesmo período de 2016 o número ficou em 2.464. Um aumento de 22,5%. Desde o início do ano passado até maio, o arsenal retirado de circulação chegou a 8.928. Do total, 58,66% são revólveres (5.237).

O assessor de desenvolvimento institucional da Polícia Militar, tenente-coronel Jano Emanuel, defende que o aumento do número de apreensões é resultado da ampliação das bases do Batalhão de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio).

 

Para o titular da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), Raphael Vilarinho, há um aumento na entrada de armas no País causada pela pacificação das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Em relação aos homicídios, ele diz que, apesar das apreensões de arma de fogo, a briga acirrada das facções criminosas é influenciadora.

Recordes

O titular da SSPDS, André Costa, afirmou em publicação do facebook que, em contrapartida ao alto número de homicídios registrados no mês de maio, o número de apreensões de armas e bateu recorde histórico, assim como o número de prisões qualificadas em flagrante (média de 45 por dia). Na publicação, ele menciona também o aumento de apreensões de drogas de 47,3%, redução nos ataques a carro-forte de 33,3%, além de cumprimento de 274 mandados de busca e apreensão e 172 de prisão. Os dados se referem ao Estado, no mês de maio.