Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará (FIEC), Beto Studart, sonha com a vaga de vice ou com o Senado nas eleições de 2018  em aliança com o Governador Camilo Santana (PT). Beto está sempre colado em Camilo para mostrar a sintonia entre as ações da indústria e o Governo Estadual. Em 2006, Beto tentou, sem sucesso, entrar na política, mas, como candidato a vice na chapa do então governador Lúcio Alcântara, amargou uma derrota. À época, Lúcio e Beto eram filiados ao PSDB.

O sonho de voltar à política é reassumido por um dos homens mais fortes da indústria cearense. O caminho seria a proximidade com o Governador Camilo Santana. Com isso, Beto tem  presença permanente nas viagens e na agenda do Chefe do Executivo Estadual. A agenda colada a Camilo o projeta como liderança empresarial com bom diálogo na área política.

A agenda com Camilo Santana o garante, ainda,  visibilidade  junto a população como um homem que tem preocupação não apenas com a área empresarial, mas, também, com a vida política e social do Ceará. Beto era filiado ao PSDB, tem proximidade com o PSC, mas o partido, nesse momento, seria o problema menor para conquistar a vaga de vice ou mesmo uma vaga ao Senado.

Quando é questionado sobre o assunto, Beto Studart desconversa, fala de compromisso com o desenvolvimento do estado do Ceará, mas, nos bastidores políticos e empresariais, o nome do dirigente da FIEC sempre surge como opção política para compor com Camilo Santana.

Em 2018, estão em jogo os cargos de governador e vice, além de duas vagas ao Senado com o fim dos mandatos dos senadores Eunício Oliveira (PMDB) e José Pimentel. Eunício, que une a oposição formada pelo PMDB, PSDB, PMB, PR, PSD e SD, poderá concorrer à reeleição ou mesmo disputar o Governo do Estado. O petista José Pimentel quer continuar em Brasília e, para isso, deverá ser candidato à Câmara Federal.

Dentro do grupo dos irmãos Ferreira Gomes, que tem o governador Camilo Santana como virtual candidato à reeleição, o ex-governador Cid Gomes (PDT) é citado como postulante ao Senado. O deputado federal André Figueiredo gostaria de ser candidato a senador, assim como o atual Secretário da Fazenda, Mauro Filho.

As dificuldades políticas abrem, porém, caminhos para uma composição com outros partidos, ficando, assim, a vice e a outra vaga ao Senado para um futuro acordo. O Presidente da FIEC,  Beto Studart, encontraria nessa brecha o espaço para entrar como vice de Camilo ou mesmo candidato ao Senado.