Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Os 23 vereadores eleitos para a Câmara Municipal de Caucaia se preparam para a abertura dos trabalhos do Legislativo em 2017 que deverá ocorrer na primeira terça-feira do mês de fevereiro, dia 7. O prédio da Câmara foi reformado e adaptado para receber sua nova composição, uma vez que o número de vereadores passou de 17 para 23. No entanto, causa estranheza o fato de que o verdadeiro “patrao” deles tenha ficado do lado de fora literalmente. Estamos falando do povo que elege os vereadores e que, depois da bela reforma do prédio, teve seu espaço reduzido para apenas seis assentos.

O fato tem recebido criticas da grande maioria da população e até de vereadores. Eleito pela primeira vez para ocupar uma cadeira no Legislativo caucaiense, o advogado Weibe Tapeba (PT) é um dos que estranham a redução de espaço para a população. “Temos que incentivar a participação popular na política local e, neste quesito, a Câmara está dando um péssimo exemplo”, afirma o vereador que tem sua formação política nos movimentos sociais.

Weibe acredita que a nova presidente da casa, Natercia Campos (PMB), vá encontrar uma solução, uma vez que a reforma foi feita pela gestão passada. “Não dá para conceber que os vereadores que prepararam a reforma não tenham percebido esse grande erro”, afirma Weibe, que vai pautar sua atuação parlamentar defendendo uma maior participação popular nos movimentos e decisões.

Entre as suas propostas está a realização de audiências públicas para debater as mudanças que Caucaia precisa, bem como sessões itinerantes nas localidades. “’É inadmissível que um município do porte e da importância de Caucaia dentro do contexto político estadual, esteja desrespeitando a chamada casa do povo, não deixando acomodações próprias dentro da casa”. Weibe reconhece que esse é um grande desafio para os atuais legisladores.

Jornal Grande Porto