Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Onde há fumaça, há fogo. O Governo do Estado trabalha com a possibilidade de perder o atual secretário de Segurança Pública e Cidadania, André Costa, que é um dos 191 policiais federais que poderão voltar aos postos de origem por determinação do Ministério da Justiça. O Ministro Sérgio Moro, ao se pronunciar, pela primeira vez sobre o assunto, disse que as cessões de policiais federais cedidos ao governo federal e a estados e municípios ‘serão feitas de forma pontual e com base em critérios técnicos’.

“Não há nenhuma intenção de provocar o retorno dos delegados que atuam como secretários ou um retorno em massa de agentes policiais cedidos”. A declaração, por meio de nota, do Ministério é uma reação ao diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, que se disse preocupado com o déficit de policiais federais provocado pelo recorde de policiais federais cedidos a outros órgãos, em ofício ao secretário-executivo do Ministério da Justiça, Luiz Pontel de Souza – número 2 da Pasta dirigida pelo ministro Sérgio Moro. Segundo o Ministério da Justiça, ainda, ‘as solicitações de retorno de policiais serão previamente discutidas com os secretários de segurança dos estados’.

O Estado do Ceará teve, nos últimos 30 anos, delegados federais e generais da reserva do exército como ocupantes do cargo de secretário de segurança pública. A experiencia, a formação e o conhecimento desses profissionais acaba por oferecer aos estados ações mais rigorosas de combate à criminalidade, como acontece, hoje, no Ceará.

Confira as informações com o correspondente do Jornal Alerta Geral, Sátiro Sales:

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp