Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O prefeito Roberto Cláudio recebeu, na tarde desta segunda-feira (10/04), no Paço Municipal, a secretária de Urbanismo e Meio Ambiente, Águeda Muniz, o secretário de Governo, Samuel Dias, e gestores do Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor). Durante a reunião, foi discutido o planejamento estratégico que configurará o cronograma de execuções do Plano Fortaleza 2040. O projeto estabelece um conjunto de metas e responsabilidades que deverão ser desenvolvidas na atual gestão e continuadas pelas próximas.

Um planejamento preliminar foi realizado ao longo dos três últimos anos, configurando a primeira etapa do Plano. Concluídas ao fim da primeira gestão do prefeito Roberto Cláudio, as primeiras ações de programação, de orçamento e de mobilização da sociedade acerca das demandas locais desencadearam a estruturação de operações urbanísticas capazes de transformar a qualidade de vida da população de Fortaleza.

A construção da primeira etapa do Plano se deu por meio do acordo entre o poder público e a comunidade. Foram buscadas formas de se produzir avanços e melhorias socioeconômicas, garantindo a proteção à natureza e o uso conveniente das bases naturais.

“Tudo isso está desenhado, equilibrado, escrito e, agora, começará uma etapa na qual as pessoas vão visualizar, vão ler concretamente e vão se inserir fisicamente em elementos que serão típicos deste plano, que naturalmente não são todos, porque são 24 anos de implementação, mas teremos, no decorrer desta gestão, o desenvolvimento de projetos extremamente importantes para a Cidade e para o atendimento justo e equilibrado aos vários padrões socioeconômicos populacionais”, afirmou o arquiteto e coordenador Urbanístico de Mobilidade de Fortaleza, Fausto Nilo.

Nessa perspectiva, a Prefeitura objetiva desenvolver, inicialmente, três grandes projetos, cujo detalhamento do cronograma de execuções está previsto para o início do segundo semestre deste ano. Um deles é a urbanização de todo o corredor urbanístico que acompanha o trajeto do metrô (linha sul), que parte do Aracapé, limite com o Maracanaú, em direção ao Centro da Cidade. Paralelamente, haverá a estruturação da nova urbanização do corredor do BRT da Avenida Aguanambi, que se estende do Centro de Fortaleza até a Messejana.

No pacote de execuções, estão previstas, também, ações de revitalização de segmentos específicos do Centro da Cidade de Fortaleza, cujas intervenções irão beneficiar o trecho da Estação Ferroviária até a Praça José de Alencar, fortalecendo os aspectos históricos e desencadeando um ciclo virtuoso de transformação da Capital.

Além disso, será estruturada uma operação urbana consorciada para a região, hoje, ocupada pelos tanques da Petrobras. Compreendida pelo entorno retroportuário do Mucuripe, a expectativa de desocupação da área está prevista para os próximos dois anos. “A gente quer estruturar um plano público e privado de operação urbana para que, tão logo a área de tancagem saia dali, a gente comece a ocupar com investimentos públicos e privados”, antecipou o prefeito Roberto Cláudio.

A diretora de Planejamento do Iplanfor, Lia Parente, mostrou-se otimista diante da explanação das ações que serão brevemente executadas em Fortaleza, provenientes de tão cuidadosas delineações. “Esta é uma demonstração maravilhosa para a Cidade de que o planejamento pode gerar frutos bastante importantes em curto, médio e longo prazo. A gente vai começar projetos que vão ancorar transformações em territórios e, inclusive, melhor equilibrar o valor e as oportunidades entre a zona leste e a zona oeste da Cidade. Foram escolhidos a dedo locais que realmente podem gerar muitas transformações para a Cidade e também para a população”, disse.

Com informação da A.I