Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Nos últimos 22 anos, as operações feitas no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) totalizaram R$ 200 bilhões. Atualmente, o Pronaf é a principal política pública brasileira de crédito para as unidades familiares de produção.

Os recursos do programa foram aplicados na efetivação de cerca de 28,5 milhões de contratos, com inadimplência em torno de 1%. De acordo com a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), os números demonstram que a política é capilarizada, consolidada e se tornou referência em financiamento da agricultura familiar.

O Pronaf apresenta uma significativa evolução das contratações ao longo dos anos. Na safra 1999/2000, atingiu a marca de quase 1 milhão de contratos e, seis anos depois, ultrapassou os 2,5 milhões. A essa altura, o programa já havia movimentado mais de R$ 6,3 bilhões.

Na safra 2006/2007, o governo federal disponibilizou pela primeira vez R$ 10 bilhões em créditos para o Pronaf; e no ano agrícola 2008/2009, o valor dos contratos financiados ultrapassou essa marca.

Nas safras 2012/2013 e 2013/2014, os agricultores familiares utilizaram todo o valor disponibilizado e, na seguinte, o Pronaf atingiu o recorde de R$ 23,8 bilhões em operações. A última safra, que finalizou em junho de 2017, apresentou aproximadamente 1,6 milhão de contratos, movimentando mais de R$ 22,7 bilhões, dos R$ 30 bilhões disponibilizados no Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/2017.

Segundo José Carlos Zukowski, diretor substituto do Departamento de Financiamento e Proteção da Produção da Sead, o crescimento do Pronaf ao longo dos anos mostra que a agricultura familiar ganhou espaço, tanto na sociedade quanto no governo. “Não teríamos um aporte de recursos como o que temos hoje se o setor não tivesse crescido tanto com o Programa”, afirma.

O Pronaf oferece crédito com os juros mais baixos praticados no mercado para a produção de alimentos da cesta básica, além de incentivar os agricultores de orgânicos e agroecológicos e as economias locais, aumentando a qualidade de vida das famílias agricultoras.

“O Pronaf, durante esses 22 anos, vem contribuindo para a redução da pobreza e para a elevação do nível das condições de vida no meio rural”, diz Zukowski.

Fonte: Portal Brasil, com informações da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário