Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O senador Aécio Neves comunicou ao colega senador  Tasso Jereissati, segundo reportagem do Jornal O Globo,  que não pretende deixar o cargo até o dia 9 dezembro, quando o partido realiza convenção, em Brasília, para eleger os novos dirigentes nacionais. Aécio está licenciado do cargo e argumenta que sua renúncia, como propôs Tasso, seria uma espécie de confissão de culpa sobre as denúncias de que teria recebido R$2 milhões de propina do empresário Joesley Batista.

O senador Tasso Jereissati assumiu interinamente a Presidência do PSDB após a licença do senador mineiro. Aécio se recusou, porém, a se afastar em definitivo do comando da sigla. Pelo menos um dos apelos de colegas mais próximos Aécio irá acatar:  vai mergulhar em Minas Gerais para recompor sua base eleitoral para buscar um mandato em 2018 e cuidar de sua defesa.

De acordo com as informações dos bastidores do Senado, Aécio fez um apelo para que o interino fique no cargo até 9 de dezembro, quando haverá a Convenção Nacional. Tasso disse que Aécio tomou sua decisão, mas ele está consultando suas bases para decidir se fica interino até dezembro ou se entrega o cargo.

‘’Aécio acha que é um ponto importante para ele ficar na presidência até a convenção de dezembro. Alega que a renúncia definitiva seria quase uma confissão de culpa. Mas garantiu que não pretende exercer nenhum tipo de atividade partidária, que vai para Minas trabalhar full time em dois pontos: sua defesa e reanimar sua base. Se ele não retoma sua base, seu futuro está em jogo’’, afirmou  Tasso após a conversa com Aécio, segundo o jornal O Globo.

Os senadores que na semana passada achavam inviável a manutenção de Aécio no cargo, refluiram. Foram convencidos que uma mudança agora poderia causar um novo tumulto no partido a menos de 40 dias da convenção que vai eleger o sucessor de Aécio. Por enquanto só tem uma candidatura posta, do governador de Goiás, Marconi Perillo. Tasso repetiu hoje que não irá disputar a presidência definitiva do PSDB.

Depois da conversa com Aécio, Tasso se reuniu com alguns senadores e almoçou com 12 deputados alinhados com sua posição. Sobre continuar na interinidade com a decisão de Aécio de não renunciar, Tasso disse que ainda não decidiu.

‘’ Aécio tomou a decisão dele. Eu vou tomar a minha. Estou consultando minhas bases e vou fazer o que for melhor para o partido ‘’, observou Tasso. Em nota, Aécio afirmou que “o PSDB foi o partido que mais cresceu no Brasil nas últimas eleições a partir de uma gestão democrática e compartilhada”. O senador disse que ficará dedicado às atividades parlamentares e destacou que “reafirma sua confiança na condução que vem sendo dada ao partido pelo senador Tasso Jereissati“.