Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com capacidade para armazenar 6,7 bilhões de metros cúbicos, o açude Castanhão chegou ao segundo semestre de 2019 com aproximadamente 5% da capacidade de reserva. No mesmo período do ano passado, o maior açude de múltiplos usos do país, que movimenta o desenvolvimento econômico de toda uma região, chegou a atingir, no início do segundo semestre, cerca de 7% da capacidade.

Para o segundo semestre deste ano, a contribuição do açude Castanhão será com uma vazão de apenas 6,5 metros cúbicos por segundo. O baixo aporte após a quadra chuvosa deste ano não permitiu uma contribuição maior e o gigante já parou de enviar água para Fortaleza e Região Metropolitana, onde está localizada maior parcela da população do estado. A pouca água disponível no açude atenderá somente a região do Jaguaribe.

A bacia hidrográfica do Médio Jaguaribe, onde resiste o Castanhão, recebeu um aporte de apenas 5,74% após a quadra chuvosa deste ano. O total desse sistema chegava a 17% em 2015.

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp