Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Com o encerramento do programa Mais Médicos, o Ceará deverá perder 448 profissionais que atuam em 118 municípios. Em entrevista ao Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), a vice-presidente do Conselho das Secretárias Municipais de Saúde do Ceará (COSEMSCE), Sayonara Cidade, falou sobre os impactos que a saída de Cuba do Mais Médicos pode trazer.  O assunto foi destaque no Bate Papo Político desta segunda-feira, 19.

Saiba Mais: 

+ 118 municípios cearenses são afetados com saída de cubanos do Mais Médicos

Saiba como funciona o programa Mais Médicos 

Lançado em 8 de julho pelo Governo Federal, o Mais Médicos faz parte de um pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e foi instituído pela Lei no 12.871, de outubro de 2013. Além de levar mais médicos para regiões onde há escassez ou ausência de profissionais voltados à saúde familiar, o programa prevê, ainda, mais investimentos para construção, reforma e ampliação de Unidades Básicas de Saúde (UBS). O Mais Médicos também estimula novas vagas de graduação e residência médica para qualificar a formação desses profissionais.

Como médicos são selecionados e onde atuam

Os municípios solicitam vagas, as quais são autorizadas pelo Ministério da Saúde. Então, são lançados editais para contratação de médicos para atuar, exclusivamente, na atenção básica desses locais. O programa apresenta uma ordem de prioridade. Assim, as vagas, primeiramente, são oferecidas aos médicos com registro no país, ou seja, médicos brasileiros formados no Brasil, estrangeiros formados no Brasil e brasileiros ou estrangeiros formados fora do Brasil que revalidaram seus diplomas. Se restarem vagas, elas serão oferecidas a médicos brasileiros formados no exterior. E, por fim, são oferecidas a médicos estrangeiros formados no exterior.

O que é exigido dos profissionais

O médico deve ser formado em instituição de educação superior brasileira ou com diploma revalidado. No caso dos estrangeiros, deve ser formado em instituição de educação superior estrangeira com habilitação para exercício da Medicina no exterior. Aqueles com formação no exterior, quando chegam ao Brasil, têm aulas e passam por testes de conhecimentos em Língua Portuguesa e nos protocolos de atenção básica do SUS.

Abaixo os outros destaques do Bate Papo Político de hoje:

– Icó perderá 7 médicos cubanos, depois do fim da parceria com o Brasil

Após o anúncio do fim da parceria de Cuba com o Mais Médicos, a previsão é que médicos cubanos que atuam no programa federal comecem a deixar o país já no dia 25 deste mês.

O correspondente do Jornal Alerta Geral, Richard Lopes, tem mais informações sobre o assunto:

RICHARD-LOPES-ICO-

Saiba Mais:

+ Mais Médicos: Bolsonaro diz que prefeitos demitiram médicos para ficar com cubanos

+ Bolsonaro volta a dizer que médicos cubanos são escravos da ditadura

– Iguatu fica sem 19 médicos cubanos. Ex-secretário de saúde classifica situação como desastrosa

Iguatu é um dos municípios cearenses mais afetados com o fim da parceria entre Brasil e Cuba no Mais Médicos. O ex-secretário adjunto de Saúde do Estado do Ceará, Marcelo Sobreira, em entrevista nesta segunda- feira, 19, ao jornalista Luzenor de Oliveira, no Jornal Alerta Geral (Rádio FM 104.3 – Expresso Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior), falou sobre o impacto da saída dos médicos cubanos da cidade de Iguatu.

Confira no player abaixo o Bate Papo Político na íntegra com as análises em primeira mão dos jornalistas Luzenor de Oliveira e Beto Almeida!

BATE-PAPO – 19.11.2018

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp