Categorias
Interior Destaque3

Descontentes com salários e condições de trabalho, professores de Iguatu mantém greve

Os professores da rede municipal de ensino de Iguatu, na Região do Centro Sul, decidiram, em assembleia geral, manter a paralisação das atividades por tempo indeterminado.

Os professores estão insatisfeitos com as condições de trabalho e salariais, como conta, em participação, nesta quarta-feira (2), no  Jornal Alerta Geral (Expresso Fm 104.3 na Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior + Redes Sociais), o correspondente Fernando Araújo.

Confira mais informações com o correspondente Fernando Araújo:

Categorias
Economia

Funcionários dos Correios suspendem greve no país

Após assembleia realizada durante a noite dessa terça-feira, os funcionários dos Correios decidiram suspender a paralisação em todo o país, aceitando a aceitando a proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de prorrogação do atual acordo coletivo da categoria até a data do julgamento do dissídio.

No entanto, os trabalhadores ainda seguem com o chamado “estado de greve” até o julgamento do dissídio coletivo, marcado para 2 de outubro. No último dia 12, o ministro do TST Maurício Godinho Delgado já havia determinado que 70% dos funcionários dos Correios voltassem ao trabalho.

Em nota, os Correios destacaram que a suspensão da paralisação foi a condição para que a empresa aceitasse a proposta do TST de manter as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2018/2019 até a data do julgamento do dissídio coletivo.

A categoria reivindica a reposição da inflação do período e é contra a privatização da estatal, incluída no mês passado no programa de privatizações do governo Bolsonaro. Além disso, há demanda por melhores condições de trabalho e outros benefícios.

Categorias
Política

Ministro da Infraestrutura recebe caminhoneiros para evitar greve

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, se reúne nesta quarta-feira (24) com líderes dos caminhoneiros, que ameaçam deflagar paralisação caso as reivindicações por remuneração maior pelo transporte de mercadorias não sejam atendidas.

Os motoristas de caminhão estão insatisfeitos com a Resolução nº 5.849/2019 da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT), que estabeleceu preços mínimos para os fretes. A tabela foi temporariamente suspensa para evitar greve da categoria.

A decisão de suspender a planilha de custos, entretanto, obrigou Freitas a se engajar com o outro lado da disputa. Ontem, ele se reuniu com representantes da indústria e do agronegócio, que não abrem mão da resolução, por considerá-la tecnicamente adequada.

Estiveram presentes na reunião de ontem representantes da Confederação Nacional da Indústria (CNI), da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Sindicato Nacional da Indústria de Cerveja (Sindcerv).

A reunião de hoje tem como objetivo encontrar uma solução satisfatória para ambos os lados, empresários e caminhoneiros.

Categorias
Política Destaque2

Nova Tabela de frete rodoviário será suspensa, garante Ministro da Infraestrutura

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, afirmou ao portal G1 nesta segunda-feira (22) que será suspensa a resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) que estabeleceu regras para o cálculo do piso do frete rodoviário.

A nova resolução prevê que 11 categorias de cargas serão usadas no cálculo do frete mínimo e amplia os itens considerados no cálculo. Além da distância percorrida, o cálculo do frete mínimo também considera o tempo de carga e descarga do caminhão, custo com depreciação do veículo, remuneração do caminhoneiro, impostos, entre outros.

Segundo o ministro, será aberta uma nova rodada de negociação com os caminhoneiros a partir desta quarta-feira (24).

Quando divulgou a nova tabela, a ANTT informou que a consulta pública sobre as novas regras recebeu 500 contribuições e que “parte significativa dessas contribuições foram acatadas e serviram de subsídio para o aprimoramento da proposta”.

A tabela de frete foi criada no ano passado pelo governo Michel Temer, após a reivindicações da categoria que promoveu uma greve geral que bloqueou estradas e comprometeu o abastecimento de combustível, de medicamentos e de alimentos em todo o Brasil.

Manifestação no Ceará

Um grupo de caminhoneiros realiza paralisação no quilômetro 43 da BR-116, em Horizonte, na manhã desta segunda-feira (22). O ato ocorre em protesto contra a nova resolução que estabelece os preços mínimos de frete rodoviário, abaixo do esperado pela categoria.

Houve tentativa de obstrução da via por volta das 6 horas da manhã, mas a ação foi impedida pela Polícia Rodoviário Federal (PRF). Muitos dos manifestantes deixaram o local logo após a ação da PRF. Outros permaneceram no trecho, mas estacionaram os veículos fora da rodovia. De acordo com a PRF, apesar da movimentação, o trânsito flui normalmente.

Categorias
Cidade Destaque2

Veja os municípios onde acontecem atos da greve geral contra a reforma da Previdência

A Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal do Estado do Ceará (Fetamce), os sindicatos municipais filiados e demais entidades sindicais e movimentos sociais organizados saem às ruas em todo o Ceará em greve geral marcada para esta sexta-feira (14). Os movimentos acontecem em protesto a reforma da Previdência, que é vista como o fim do direito à aposentadoria dos trabalhadores brasileiros.

Fetamce destaca que é hora de “aumentar a pressão e convocar mais pessoas para a luta, através da paralisação total das atividades no país”. Professores e trabalhadores de educação municipais e do estado, motoristas e cobradores de ônibus, metalúrgicos, servidores públicos, petroleiros, trabalhadores da construção civil, da indústria e do comércio, bancários, agricultores familiares, entre outros setores, declaram apoio a paralisação.

Na Capital, Fortaleza, o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário (Sintro-CE) confirmou a paralisação das atividades, mas, em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) anunciou que, mesmo os trabalhadores do setor admitindo adesão ao movimento da greve geral, o serviço funcionará com normalidade na Capital. A concentração do ato está marcada para às 10h30, na Praça da Bandeira, no Centro da cidade.

Veja as principais concentrações:

  • Acaraú – 8h: Praça do Centenário. Caminhada pelo Centro até a Rodoviária
  • Acopiara – 8h: Praça da Matriz
  • Altaneira – 9h: Calçadão
  • Aquiraz – 7h30: Rodoviária
  • Aracati – 7h: Praça dos Prazeres
  • Barreira – 8h30: Praça dos Taxistas
  • Barroquinha – 7h30: Em frente à Prefeitura
  • Baturité – 8h: Praça Santa Luzia
  • Beberibe – 8h: Câmara dos Vereadores
  • Brejo Santo – 8h: EEM José Matias Sampaio
  • Canindé – 7h: Posto Estrela
  • Camocim – 8h: Concentração no IFCE
  • Cascavel – 8h: Praça de São Francisco
  • Caucaia – 8h: Praça da Matriz
  • Chaval – 7h30: Escola Monsenhor José Carneiro
  • Chorozinho – 9h: Praça da Escola Padre Enemias
  • Crateús – 7h: Praça da Matriz
  • Fortaleza – 10h30: Praça da Bandeira
  • Fortim – 7h: Praça São Pedro
  • Horizonte – 7h: Estádio Domingão
  • Icó – 8h30: Sede do Sindicato dos Servidores Municipais
  • Iguatu – 8h: Praça da Caixa Econômica Federal
  • Ipu – 8h: Praça da Iracema
  • Ipueiras – 8h: Praça da Igreja Matriz
  • Iracema – 7h: Praça Casimiro Costa Moraes (Mangueira)
  • Itaiçaba – 7h: Escola Dulcinea Gomes Diniz
  • Itapipoca – 8h: Praça do Cafita
  • Jaguaribara – 7h: Escola Estadual Liceu
  • Jaguaribe – 7h30: Em frente ao salão paroquial
  • Jaguaruana – 7h: Praça da Prefeitura
  • Juazeiro do Norte – 8h: CREDE (Rua São Pedro com Rua Rui Barbosa)
  • Jucás – 8h: Praça Getúlio Vargas
  • Limoeiro do Norte – 8h: INSS (Ao lado da Honda)
  • Madalena – 8h: STTR
  • Maracanaú – 8h: Praça da Estação de Maracanaú
  • Milagres – 8h: Praça 7 de Setembro
  • Milhã – 8h30: Sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais
  • Monsenhor Tabosa – 8h: Sindicato dos Servidores Públicos
  • Morada Nova – 8h: Praça da Matriz
  • Nova Olinda – 7h: Praça Escola Pe. Luis Filgueiras
  • Nova Russas – 8h: Praça da Macavi
  • Pacujá – 8h: Sede do Sindicato dos Servidores Municipais
  • Paracuru – 8h: Sede Sindicato APEOC
  • Penaforte – 8h: Praça Querubina Bringel
  • Pereiro – 7h30: Praça da Matriz
  • Quixadá – 8h: Praça da Catedral
  • Russas – 7h30: Secretaria da Saúde
  • São Benedito – 8h: Concentração na praça do Índio
  • São Gonçalo do Amarante – 8h: Praça da Igreja Matriz
  • Senador Pompeu – 8h: Praça da Juventude
  • Sobral – 8h: Praça de Cuba
  • Solonópole – 17h40: Alto Vistoso
  • Tabuleiro do Norte – 8h: Igreja Matriz
  • Tauá – 8h: EEM Liceu Lili Feitosa
  • Tianguá – 8h: Praça da Igreja Matriz
  • Trairi – 8h: SISPUMT
Categorias
Política Nacional

Centrais sindicais se organizam para greve geral dia 14 contra o governo

As centrais sindicais montam estratégias para mobilização de uma greve geral  para o dia 14 contra o governo Jair Bolsonaro (PSL). As reivindicações são: ‘derrubar’ a reforma da Previdência, reclamar do crescente desemprego e melhorias da Educação pública.

A agenda dos sindicalistas fará plenárias estaduais para mobilização até o dia da greve, além do apoio à segunda manifestação da União Nacional dos Estudantes (UNE) em resposta às medidas de contingência no Ministério da Educação, marcada para o dia 30.

Nessa terça-feira (21), representantes das centrais sindicais se reuniram para tratar de estratégias e preparar o material de divulgação da greve geral. Os departamentos de comunicação desenvolveram propostas para o material da campanha. As sugestões serão apresentadas aos dirigentes e seguem a linha da defesa da aposentadoria, contra o desemprego e pela Educação pública, segundo os estrategistas de comunicação.

Na segunda-feira (20), dirigentes das centrais, dos trabalhadores de transportes e da UNE conversaram sobre a paralisação do dia 14. Na ocasião, os sindicalistas demonstraram otimismo depois da mobilização estudantil de 15 de maio. Foram registradas manifestações em mais de 170 cidades do País e, só em São Paulo, a estimativa foi de 250 mil presentes no primeiro protesto de rua contra Bolsonaro, de acordo com os organizadores. 
Categorias
Geral Destaque3

Servidores do Detran realizam manifestação em frente ao órgão

Servidores do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) realizam, na manhã desta segunda-feira (6), uma manifestação em frente ao órgão na Avenida Godofredo Maciel, no Bairro da Maraponga. O protesto bloqueou parte da avenida e gera congestionamento.

De acordo com Veracy Oliveira, diretora do Sindicato dos Trabalhadores na Área de Trânsito do Estado do Ceará (Sindetran-CE), os funcionários pedem as progressões do plano de cargos e carreiras dos trabalhadores.

O protesto é sobre a regulamentação do plano de cargos e carreiras. Esse tópico das progressões que o governo não está cumprindo. Esse plano foi instituído em 2015 e passou três anos para ser regulamentado. O governo quer regulamentar agora, mas não quer pagar as progressões dos servidores por esse tempo todo que são quatro anos, disse Veracy.

Ainda segundo Veracy, vários encontros já ocorreram com representantes do governo e nenhuma solução foi determinada.

Categorias
Nacional Economia Destaque2

Aumento do diesel traz risco de nova greve de caminhoneiros

O anúncio de reajuste de 2,56% do óleo diesel, feito ontem (3) pela Petrobras, trouxe a ameaça de greve dos caminhoneiros de volta. A indignação da categoria não é só contra a estatal, mas também por causa de medidas não cumpridas pelo governo. Representantes de transportadores autônomos admitem que com o cenário atual, é difícil controlar e evitar uma greve nacional.
O aumento de preço sobre o principal combustível utilizado pelos caminhões tem tido forte repercussão neste ano. Uma possível greve havia sido marcada para 29 de abril, mas após reunião de representantes sindicais e o governo, foram tomadas medidas que evitaram a greve.
Categorias
Interior Destaque1

Obras do São Francisco não ficarão prontas no prazo estabelecido, afirma presidente do SintePav

Trabalhadores das obras de Transposição do Rio São Francisco, no Ceará, estão em greve a mais de 40 dias e, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Industrias de Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplanagem em Geral no Estado do Ceará (SintePav-Ce), Raimundo Nonato, a expetativa de entrega da obra da transposição, que beneficiaria os municípios cearenses, marcada para o final do primeiro semestre, não é possível, já que grande parte dos trabalhadores não está satisfeita com as situações de trabalho.

A expectativa do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), é que o empreendimento seja entregue até maio e entre em operação no segundo semestre deste ano. Em entrevista ao Jornal Alerta Geral (FM 104.3 na Grande Fortaleza + 26 emissoras no Interior do Estado) desta quinta-feira (2), o presidente do SintePav elencou os motivos pelos quais os trabalhadores seguem paralisados. Entre eles, está o descumprimento de uma Convenção Coletiva – acordo entre trabalhadores e empregadores da classe sindicalizada- que se venceu em 31 de março deste ano.

Primeiro, a greve ainda continua com um percentual muito alto. […] Os 50% que retornaram ao trabalho estão em trabalhos lentos. Não estão trabalhando com a expectativa de produção. Até porque, trabalhar obrigado pela Justiça… é quase uma obrigação dos 50% retornarem o trabalho. O trabalhador não está feliz, não está satisfeito.

Após uma decisão judicial do Tribunal Regional da 7ª Região (TRT7), os funcionários que foram obrigados a trabalhar estão indo aos postos de trabalho, mas sem exercer nenhum serviço – conhecida como “greve branca“. Segundo Raimundo Nonato, como o trabalhador está “obrigado pela Justiça“, esse funcionário “não está satisfeito“, o que corrobora para que o andamento das obras não ocorram no prazo esperado. A decisão judicial determinou que 50% dos trabalhadores retornasse às atividades, o que, na prática, não está acontecendo.

Acompanhe a entrevista completa, realizada por Rodrigo Rodrigues, com o presidente do SintePav, Raimundo Nonato:

Categorias
Ceará

Rio São Francisco: Trabalhadores da Transposição decidem manter greve

Cerca de 200 funcionários do Consórcio Ferreira Guedes, responsável por concluir as obras da Meta 1N do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf), se reuniram em assembleia, nesta terça-feira (30), em Penaforte, no Ceará. Durante a reunião, os funcionários decidiram manter a greve que já dura 43 dias. O grupo bloqueou por duas horas a entrada do canteiro de obras no município cearense. Por causa da paralisação, os serviços estão praticamente parados e a data da chegada das águas do “Velho Chico” no Ceará é incerta.

A expectativa do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) é que o empreendimento seja entregue até maio e entre em operação no segundo semestre deste ano. Uma liminar com prazo de 30 dias, expedida no último dia 16 pelo Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (TRT7), de Fortaleza, determinou o retorno dos trabalhados. Mas segundo o sindicato da categoria, de 1.174 trabalhadores, apenas metade voltaram aos serviços. A Pasta nega, garantindo que apenas 260 pessoas estão de greve.

Segundo o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), a situação de greve tem sido monitorada para garantir o retorno à normalidade o mais rápido possível. Atualmente, o Eixo Norte apresenta 97% de execução física e todas as grandes estruturas para condução da água aos estados beneficiados estão prontas.